Relacionamentos ao redor do mundo

casamento-índiaSe por um lado os países nunca mudem de lugar geometricamente, não se pode dizer que seus costumes e culturas acompanhem esta estagnação.
não é necessário olhar com tanta atenção para os livros de história para percebermos que os costumes de vários povos mudaram drasticamente. Suas roupas, musicas, danças… Tudo mudou!
mas nenhuma dessas mudanças teve tanto impacto na economia e no desenvolvimento da democracia quanto a mudança na forma com que as pessoas se relacionam nessas culturas.

No Brasil, até meados do século passado ainda tratava os casamentos como uma forma de formar alianças e prospecção. Porém do maio para o fim do século 20 o cenário iniciou uma mudança drástica.
Resultado disto foi a merecida independência feminina. Elas não mais precisavam se submeter ao desejo de seus pais escolhendo seu casamento, mas ela por si só fazia sua escolha e  essa já era respeitada.

Porém, com o passar do tempo, surgiram novos desafios…como por exemplo: a divisão das responsabilidades domésticas, a contestação da capacidade feminina, as dificuldades para se relacionarem e de encontrarem o parceiro ideal.

Este ultimo até de certa forma seria obvio ocorrer, tendo em vista que não era mais seu pai que escolhia seu pretendente, mas sim ela própria.

Existe muita especulação sobre o que leva uma mulher a fazer a escolha de seu pretendente:
Beleza, dinheiro, sucesso, caráter, seus impulsos inconscientes…enfim

O que se sabe é que tem se tornado uma tarefa cada vez mais difícil, sabendo-se que a proporção mulher x homem já é bem desigual em alguns países ou cidades.

Fora que os homens também não têm facilitado esta tarefa, por fugirem ou terem medo de se relacionar mais profundamente.

Conflitos de prioridades.

Cada mulher tem interesses diferentes, enquanto uma quer se sentir amparada e protegia, outra já precisa de liberdade e irevolução femininancentivo.
Sendo assim, cada mulher irá avaliar qualidade e defeitos diferentes em seu parceiro.

Muitas mulheres acabam se perdendo nessa busca por um parceiro, por achar que eles pensam da mesma forma que elas.
Isso é um grande engano! Muitos homens não veem como problema algum não ter uma mulher que o ame, contanto que ela o respeite.

Eu sei que isso parece bem estranho mas é justamente o que tem ocorrido em nossos tempos, pode ser que isso futuramente mude em nossa cultura, mas hoje isso é o que tem imperado.

E com isso a situação fica um pouco confusa quando o assunto é relacionamento, pois a prioridades tem sido diferentes.

Procure saber mais

Hoje em dia existem pessoas focadas em ensinar quem tem passado dificuldades em encontrar um parceiro para se relacionar e estabelecer sua família.
Esses coach’s tem a missão de lhe passar os conhecimentos adquiridos por experiencia própria ou que observaram com outros alunos.

Existe uma infinidade de produtos com essa finalidade, o guia método do respeito é um excelente exemplo.
Ele tem como objetivo fazer com que as mulheres entendam os homens e se comuniquem com eles de uma forma mais profunda e intimista.
Isso de forma alguma é uma tarefa fácil.

Caso queira mais informações a respeito do método do respeito, basta clicar no link acima. Você será encaminhado a um site que da uma opinião sobre o guia.
O site é o comprarounao.com que tem se especializado em avaliar produtos digitais lançados recentemente, justamente para que você tenha um pouco mais de certeza se é esse guia que você realmente precisa.

 

Abaixo deixaremos um vídeo com uma breve explicação ou com depoimentos a respeito do dito livro.

post teste 1

O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) promove entre os dias 16 de novembro e 9 de dezembro a Operação Brasil-Alemanha, no Rio Grande do Norte. O evento marca os 40 anos do acordo tecnológico internacional entre o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e o Centro Espacial da Alemanha (DLR).

 

Mais de 100 servidores, entre civis e militares do efetivo do CLBI, estão envolvidos na Operação que prevê o lançamento e rastreamento de dois foguetes de sondagem, com uma carga útil científica portando dois  experimentos: um do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e outro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

O experimento científico do INPE fará medidas do perfil da densidade numérica de elétrons a partir do perfil da corrente recolhida por um sensor de aço inox montado na ponta do foguete. Já o experimento da UFRN, tem como função básica informar com precisão a posição e a velocidade do foguete ou de um satélite no espaço.

 

O primeiro foguete deverá ser lançado para o espaço no dia 25 de novembro, e o segundo partirá no dia 2 de dezembro, ambos às 20 horas.